<< Voltar pra Home

Negócios



Dispara a procura por alimentos vegetarianos e veganos

26 de junho de 2022
 - 
22:10
 - 
Bruno Marcon
Featured image for “Dispara a procura por alimentos vegetarianos e veganos”

Especialista em consumo detalha os motivos pelos quais as lojas precisam focar neste novo cliente

Saúde e comodidade são as palavras que podem definir os novos hábitos de consumo no setor da alimentação. Isso porque o crescimento do delivery, aumento da busca por soluções baratas e interesse por alimentos veganos e vegetarianos e pela alimentação saudável são algumas das principais mudanças no comportamento dos consumidores pós-pandemia, de acordo com Guga Schifino, head de transformação digital da DX.CO, empresa do Grupo 4all.

Schifino, que é especialista em comportamento e consumo, participou, em maio, do NRA Show 2022, o maior encontro anual de profissionais de foodservice no Ocidente. A feira ocorre em Chicago, nos Estados Unidos, reúne mais de 1,5 mil expositores e fornecedores de todo o mundo que apresentam novas soluções para o setor, além de promover discussões relevantes para a área.

Entre as mudanças apresentadas no NRA, está o crescimento na compra de alimentos com entrega em casa, um comportamento acelerado com a pandemia, quando o delivery ganhou mais força, demonstrando que o formato veio para ficar: — O crescimento do delivery iniciou na pandemia e acabou criando um novo hábito, mantendo o interesse das pessoas pela entrega de comida, o que tem deixado o serviço em ascensão, mesmo que em menor percentual do que o ano passado.

A adesão ao consumo de alimentos sem itens de origem animal também aparece entre os novos hábitos. Guga destaca uma pesquisa da Datassential, apresentada no evento, em que 66% dos 27 mil consumidores pesquisados afirmaram que pensam que as comidas à base de planta são o futuro, sendo que 60% dos vegetarianos procuram alimentos com gosto de planta e 40% está em busca de itens com sabor semelhante ao da carne.

O estudo ainda traz o dado de que 62% das pessoas que optaram pela dieta sem carne dizem que a escolha levou em consideração a saúde.

— Muito embora saiba-se que não existe relação direta desse tipo de dieta com a saudabilidade — ressalta Schifino

Além disso, o impacto da inflação no preço dos alimentos também afeta o consumo, uma vez que a redução de gastos tem a alimentação fora de casa como um dos primeiros alvos.

As mudanças se intensificam na geração Z (de 11 a 24 anos) e mais ainda com a alfa (de três a 10 anos), que são também os responsáveis pelas escolhas dos alimentos e dos restaurantes no consumo familiar.

— Os principais desafios do setor são usar a tecnologia para melhorar a produtividade e minimizar os impactos da inflação. Adaptar-se a um novo comportamento de consumo. E avaliar novos modelos e formas de resolver as necessidades do consumidor — finaliza Schifino.

Fonte: GZH


Compartilhar:
Image

Últimas Notícias



Image

Grupo Meu Prata inaugura loja em Belo Horizonte (MG)

Com área de 420 metros quadrados, o estabelecimento conta com estacionamento amplo para clientes e quatro caixas para atendimento O…
Image

Grupo Savegnago recebe certificado de logística sustentável

Certificação da CHEP, empresa global líder em gestão e transporte, tem reconhecimento internacional e apresenta os benefícios ambientais da operação…
Image

Reckitt Comercial anuncia Alan Smelstein como novo Diretor de Vendas

Profissional vai liderar uma equipe de 200 pessoas espalhadas pelo País, dedicadas a desenvolver, junto com aos clientes, as categorias…
Image

#AjudaSul: itens produzidos no RS seguem em destaque nas redes supermercadistas

Como forma de ajudar na recuperação da economia local, prateleiras com itens oriundos do estado gaúcho foram instaladas em diversas…