<< Voltar pra Home

Destaques



Mercado Livre de Energia x Energia Solar: qual é a melhor opção para o seu supermercado?

3 de abril de 2024
 - 
09:00
 - 
Redação SuperHiper
Featured image for “Mercado Livre de Energia x Energia Solar: qual é a melhor opção para o seu supermercado?”

Oferecido por Clark Energia

Um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) mostrou que o consumo de energia subiu 11% entre os supermercados em um ano. O setor ocupa atualmente o oitavo lugar entre os maiores consumidores elétricos, ficando atrás somente de grandes ramos da indústria, como a metalurgia.

Como a gente já sabe, quanto maior o consumo de energia, maior é o valor pago na conta de luz. Diante disso, cada vez mais supermercados estão buscando maneiras eficazes de economizar, seja através da migração para o Mercado Livre de Energia, seja através da aquisição de placas solares.

As duas soluções são eficientes. Porém, para definir qual é a melhor opção para o seu supermercado, é preciso compreender as diferenças e especificações de cada.

Vantagens e desvantagens: Mercado Livre e Energia Solar

O Mercado Livre de Energia é um ambiente de negociação e compra de energia elétrica onde as empresas do Grupo A negociam diretamente com as geradoras ou comercializadoras de energia condições como preço, prazo, volume e forma de pagamento. Ele se diferencia do Mercado Cativo, onde os consumidores são obrigados a comprar energia diretamente das distribuidoras.

Ao todo, o Mercado Livre de Energia abraça mais de 30 mil consumidores e corresponde a quase 40% de todo o mercado energético nacional. Outras 14 mil empresas já anunciaram que devem migrar para o Mercado Livre de Energia em 2024 e 2025.

Uma das principais vantagens do Mercado Livre é que, diferentemente da energia solar que precisa de um alto investimento nas placas solares, não há qualquer necessidade de investir em infraestrutura. A distribuidora continuará responsável pela distribuição da energia ao consumidor livre.

Um outro porém é que somente empresas do Grupo A, que possuem em média uma fatura a partir de R$ 10 mil podem migrar para o Mercado Livre de Energia.

Já a instalação de placas solares não possui essa exigência, e pode ser usada em áreas mais afastadas e sem rede elétrica, além de ser uma fonte 100% renovável e de baixo impacto ambiental na instalação.

No Mercado Livre de Energia, o consumidor tem flexibilidade nos preços e prazos de pagamento, além da possibilidade de comprar energia solar. A negociação dos termos de contratos de médio ou longo prazo é também outra vantagem.

Apesar da necessidade constante de manutenção, as placas solares possuem vida longa útil e exploram um recurso natural e abundante, que é a energia do sol.

Para realizar a migração para o ACL, é recomendado contratar uma gestora elétrica, como a Clarke Energia. A energytech apresenta um marketplace próprio, com mais de 50 fornecedores disponíveis. Além de oferecer suporte na migração e cotação com fornecedores.

Clique aqui e saiba mais sobre a Clarke


Compartilhar:
Image

Últimas Notícias



Image

RJ: Supermarket Recreio investe em modernização e reforma loja

Empreendimento passou a contar com um ambiente mais amplo e organizado, com setores como hortifruti, adega e padaria modernizada A…
Image

Assaí inaugura, em Vitória, a sua segunda loja no Espírito Santo

Empreendimento capixaba gerou 500 empregos diretos e indiretos e conta com vagas para recarregamento gratuito de carros elétricos O Assaí…
Image

Grupo Koch abre 150 vagas para Centro de Distribuição em Tijucas (SC)

“Há muitos benefícios como vale-compras, planos de saúde e odontológico, entre outros”, declarou o gerente executivo de RH da empresa,…
Image

Dia Mundial do Café: mais do que uma bebida, uma paixão nacional

Supermercadistas te convidam a descobrir os diferentes tipos de café, modos de preparo e uma receita refrescante para celebrar a…