<< Voltar pra Home

ESG



Heineken cria instituto inédito voltado às questões de ESG

7 de abril de 2022
 - 
05:22
 - 
Redação SuperHiper
Featured image for “Heineken cria instituto inédito voltado às questões de ESG”

Uma verba significativa foi direcionada ao projeto pioneiro executado inicialmente no Brasil

Depois de anunciar, em fevereiro, Mauro Homem como o primeiro vice-presidente de sustentabilidade e assuntos corporativos do Grupo Heineken, a companhia agora reforça a agenda ESG (sigla em inglês para ambiental, social e governança) por meio da criação do Instituto Heineken Brasil, que começa a operar nesta quarta-feira, 6, e é o primeiro do grupo no mundo.

“Entendemos que este é o momento de ir além. Estavamos trabalhando mais fortemente com sustentabilidade, pela geração de energia verde, consumo consciente de água e circularidade; e ações em prol do consumo equilibrado, mas sentimos a necessidade de fazer mais na frente social”, diz Homem.

A partir de um mapeamento realizado desde o fim do ano passado, optou-se por iniciar o trabalho do Instituto com ambulantes, catadores e jovens em situação de vulnerabilidade a partir de um investimento de 10 milhões de reais neste ano. Quem estará à frente da operação é Beatriz de Sá, gerente executiva do Instituto Heineken.

“O modelo de instituto nos traz a possibilidade de trabalhar com ONGs, governos e outros parceiros. É uma forma de escalar os programas, impactar mais pessoas e até mesmo inspirar outras regiões de atuação da Heineken que ainda não segeuem neste formato”, afirma Sá. Em entrevista, os executivos detalharam os primeiros passos nas três frentes propostas:

Ambulantes: Em escala nacional, mas especialmente nos grandes centros, a proposta é oferecer educação para que sejam melhorados os processos de trabalho e venda. “Melhorar as habilidades do ambulante é essencial para que ele tenha mais renda e, consequentemente, acesso”, diz Homem.

Catadores: A intenção é capacitá-los para que eles tenham melhor aproveitamento dos materiais coletados e também aumentem a renda. Neste pilar é possível também fomentar a cadeia de reciclagem do vidro, buscando mecanismos de logística e melhores pagamentos pelo importante insumo para os negócios da Heineken. “Nas cooperativas, grande parte dos catadores são mulheres chefes de família”, diz Sá.

Jovens: Por meio da WeLab, plataforma de educação e apoio ao jovem, há a intenção de incentivar habilidades socioemocionais e educacionais de modo a gerar consumo responsável e empregabilidade. “Sabemos que o jovem brasileiro é afetado pelo desemprego, e, por vezes, recorre ao consumo inadequado de álcool. Queremos mudar isto”, diz Homem.

Com as ações, o Instituto Heineken espera impactar 10 mil ambulantes e catadores, além de 1 milhão de jovens até 2025. “Trabalharemos com mensuração de todos os nossos programas e projetos de forma a medir o impacto positivo que vamos gerar: a autopercepção dos participantes; se enxergam melhores perspectivas de futuro após terem passado pelos nossos programas e projetos; se houve progresso educacional entre os participantes pós envolvimento nos projetos; e se conseguimos contribuir para algum incremento de renda dos nossos públicos-alvo”, afirma Sá.

“É importante reforçar que as atividades geram impacto positivo na sociedade e, consequentemente, se conectam ao nosso negócio por valor compartilhado”, diz Homem.

O executivo afirma ainda que, internamente, a Heineken segue trabalhando com as ações de sustentabilidade, governança e sociedade por meio, por exemplo, do pilar de diversidade e inclusão que tem meta de 50% de mulheres em posição de liderança, assim como de ampliar a presença de pessoas pretas e pardas no quadro funcional.

ESG no Grupo Heineken

Em fevereiro, o Grupo Heineken, em parceria com o Governo de São Paulo, anunciou o investimento de R$ 320 milhões no estado para reforçar a agenda ESG (sigla para ambiental, social e govenança) que inclui a modernização das cervejarias localizadas nas cidades de Itu, Jacareí, Araraquara e Campos do Jordão.

O recurso será direcionado à ampliação do uso de energias renováveis, ao exemplo das caldeiras de biomassa, ao ganho de eficiência hídrica e ao crescimento de iniciativas voltadas para a circularidade de embalagens de vidro, um desafio para o setor, visto que hoje 30% do vidro usado pelo Grupo Heineken é importado.

Fonte: Marina Felippe, Exame


Compartilhar:
Image

Últimas Notícias



Image

Rede americana cria centros de inovação em cada loja

Com estratégia de expansão com lojas menores, Sprouts Farmers Market acelera inovação para responder às demandas dos clientes Encontrar respostas…
Image

Grupo Vanguarda realiza o Super Líder 2023 e apresenta metas para 2024

Cinco lojas foram premiadas e consideradas as melhores do ano, alcançando níveis de desempenho extraordinários, superando metas e rompendo barreiras…
Image

Ypê anuncia novo diretor digital e canais especiais

“Após atuar em multinacionais, hoje tenho orgulho de fazer parte de uma empresa 100% nacional”, declarou Alexandre Gyurkovits A Ypê,…
Image

Skyone recebe aporte de R$ 60 milhões

Investimento foi realizado pelo fundo de Venture Capital Bewater e será utilizado para expansão da scale-up A Skyone, líder no…