<< Voltar pra Home

Negócios



Ex-VP da Ambev tem missão de quintuplicar o faturamento do Dom em 4 anos

19 de julho de 2022
 - 
20:54
 - 
Redação SuperHiper
Featured image for “Ex-VP da Ambev tem missão de quintuplicar o faturamento do Dom em 4 anos”

Atacarejo desconhecido da maioria, enxergou em Caio Lira o executivo ideal para alavancar a marca em território carioca

Ainda desconhecido de grande parte dos consumidores, o Dom Atacadista conseguiu atrair um vice-presidente da Ambev com uma missão ambiciosa: quintuplicar o faturamento do mais novo competidor do “atacarejo” no Rio em quatro anos. Para dar certo, a rede terá que ganhar espaço entre gigantes como Atacadão e Assaí e driblar a morosidade do PIB. Mas a companhia tem a seu favor uma conjuntura econômica de inflação, que favorece o “atacarejo” na comparação com o supermercado tradicional, e a sociedade com um dos maiores grupos do setor no país.

— O “cash and carry” (jargão do setor para “atacarejo”) nasceu focado nas classes C e D, mas hoje não é difícil ver os públicos A e B frequentando o Assaí na Barra da Tijuca, por exemplo. Desde 2010, a conjuntura econômica favorece o “cash and carry”, porque as famílias brasileiras passaram a buscar novas formas de compra e encontraram nele uma proposta de valor adequada à sua renda — diz Caio Lira, que assumiu semana passada como diretor-geral do Dom.

‘Mercado estava aberto’

O Dom foi fundado em 2019 por Erasmo Gonçalves, ex-sócio do grupo Torre, um dos donos da rede Supermarket. Gonçalves enxergou uma lacuna no mercado de “cash and carry” do Rio, que praticamente só era explorado por Assaí e Atacadão (do grupo Carrefour). Gonçalves trouxe para sociedade outro egresso do Supermarket, Paulo Bonifácio.

— A oportunidade que o Erasmo viu é que não tinha nenhum “player” regional legitimamente do Rio operando o “cash and carry”. E o mercado também estava aberto, com oportunidades de crescimento mesmo em áreas com o perfil desse canal — afirma Lira.

A primeira loja do Dom foi aberta pouco antes da pandemia em Realengo, Zona Oeste do Rio.(Curiosamente, o Atacadão abriu uma unidade na mesma rua, a 500 metros de distância, praticamente ao mesmo tempo). A companhia ganhou fôlego durante a quarentena, com o salto de vendas de itens de supermercado. Hoje, a rede já tem dez lojas, das quais seis na região metropolitana e quatro em outras regiões do estado (Teresópolis, Araruama, Macaé e Angra dos Reis).

Grupo mineiro tem metade da rede

Em março deste ano, a rede Mart Minas — 12º maior grupo de supermercados do país, segundo ranking da associação do setor, a Abras — comprou metade do Dom Atacadista. No ano passado, o grupo faturou R$ 5,3 bilhões e tinha 50 lojas. (O Dom Atacadista não aparece no ranking da Abras, mas a companhia anunciou à época da combinação de negócios que suas receitas já estavam R$ 1,2 bilhão.)

Potiguar formado em administração pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Caio Lira ficou 22 anos na Ambev, passando por posições em todas as regiões do país e chegando ao cargo de vice-presidente de “off trade” — que, por alguma razão, é o termo usado pela gigante de bebidas para tratar de canais de varejo, que não são englobados por bares e restaurantes.

O convite para assumir o Dom chegou no momento em que Lira estava decidido a sair da Ambev para empreender. Feita por empreendedores com os quais Lira tinha relacionamento em suas funções na cervejaria, a proposta contemplava um “modelo de sociedade” que o convenceu:

— A empresa é nova, não está no “top of mind” do consumidor. Precisa fazer esse trabalho de construção de marca, o que me atraiu.

Depois de entrar no Dom, o plano do grupo Mart Minas — e, logo, a missão de Lira — é elevar a receita combinada dos grupos para a casa dos R$ 16 bilhões até 2025 — um crescimento anual nominal de 25% ao ano. Segundo o executivo, a ambição é que as receitas do Dom respondam por R$ 6 bilhões daquele total, chegando a 30 lojas. O foco da rede de “atacarejo”, por enquanto, está exclusivamente concentrado no Estado do Rio.

— O plano de expansão é robusto. Temos mais três lojas para abrir este ano, bairros importantes como Campo Grande. No ano que vem, queremos chegar à Barra da Tijuca.

Uma das metas de Lira é digitalizar as operações do Dom:

— Hoje, não temos e-commerce nem delivery, por exemplo. O plano é a gente estudar como fazer isso em algumas oportunidades. Não devemos implementar em todas as unidades, mas vamos olhar onde faz sentido.

Fonte: Rennan Setti, Capital, O Globo


Compartilhar:
Image

Últimas Notícias



Image

Rede Dia estuda saída do Brasil devido a impacto negativo de suas contas

“Estamos avaliando diferentes opções estratégicas; não há nenhuma decisão tomada até o momento, mas será decidida ao longo do ano”,…
Image

Grupo Bahamas anuncia construção da sua segunda loja em Ituiutaba (MG)

“Estamos muito felizes em expandir nossa presença nessa cidade que tem um grande potencial de crescimento e que nos acolheu…
Image

SP: Sonda reinaugura loja no Boavista Shopping

Novo conceito empregado no estabelecimento proporciona maior experiência de compra, tornando-a mais confortável e agradável Seguindo com seu plano de…
Image

Páscoa: Lacta reforça portfólio para presentear com caixa de variedades comemorativa

Favoritos, Sonho de Valsa e Ouro Branco ganham edições especiais, com frases que expressam sentimentos Presentear é um dos atos…