<< Voltar pra Home

ESG



CEO’s devem se responsabilizar pela adoção de práticas ESG

20 de abril de 2023
 - 
17:00
 - 
Bruno Marcon
Featured image for “CEO’s devem se responsabilizar pela adoção de práticas ESG”

Conclusão é do Relatório da Câmara Americana de Comércio, que diz: 62% dos empresários tem familiaridade com o ESG e 47% das empresas já adotam essas práticas

Para acelerar a adoção das práticas ESG no Brasil, sigla que define compromissos com a agenda ambiental, social e de governança, CEOs, presidentes e vice-presidentes de empresas devem tomar a frente dessa pauta. É o que afirmam 82% dos 574 executivos entrevistados em uma (Câmara Americana de Comércio) realizada entre março e abril de 2023. O governo foi o segundo ente mais citado (69%) pelos profissionais, a maioria (70%) de grandes e médias empresas, como responsável por comandar a aceleração das práticas ESG. Para tanto, é necessário que as lideranças recebam a capacitação necessária sobre ações de conscientização sobre a importância da implementação da agenda ESG.

“Eles entendem que a liderança desta agenda deve ser exercida pelo C-level das empresas e pelo governo”, diz Abrão Neto, CEO da Amcham. “Essa conclusão evidencia a importância do engajamento em alto nível para acelerar a adoção de práticas e os investimentos ESG no Brasil.”

Panorama do ESG nas empresas

A pesquisa apresenta como fatores críticos de sucesso na implementação de práticas ESG a capacitação das lideranças e colaboradores das organizações (48%), ações de conscientização (47%), o desenvolvimento de uma cultura forte de sustentabilidade (43%) e a previsão de orçamento dedicado para investimentos em iniciativas ESG (40%).

Vale ressaltar que 47% das empresas entrevistadas são referência de mercado ou estão adotando práticas ESG. Dos que ainda não se inseriram na agenda, 31% estão planejando implementar essas políticas.

Os principais motivos apresentados para as empresas incorporarem essas práticas são o fortalecimento da reputação de mercado (61%), impacto positivo em questões socioambientais (57%) e a redução de riscos ambientais, sociais e de governança (40%). Apesar disso, ainda há desafios, especialmente na dificuldade de mensurar e monitorar indicadores ESG (38%). Outras dificuldades apontadas pelos profissionais são a ausência de uma cultura forte de sustentabilidade (32%), falta de recursos financeiros para investimentos (27%) e de conhecimento interno (27%).

O estudo revela que 62% dos empresários possuem familiaridade com ações e estratégias ESG. Enquanto 42% dos que responderam indicam ter experiência ou conhecimento razoável sobre essa pauta, outros 20% consideram ter amplo domínio do assunto – embora 32% tenham dúvidas sobre alguns aspectos.

As principais ações de impacto ambiental em curso são as de reciclagem e reuso de materiais (46%), otimização do uso de recursos naturais (45%) e investimento em inovação com vistas a produtos e serviços sustentáveis. Apesar desses índices, apenas 25% das empresas consultadas estão executando ações para reduzir impactos na biodiversidade e 14% para compensar ou reduzir emissões de gases do efeito estufa.

Com informações da Forbes Brasil


Compartilhar:
Image

Últimas Notícias



Image

Grupo Meu Prata inaugura loja em Belo Horizonte (MG)

Com área de 420 metros quadrados, o estabelecimento conta com estacionamento amplo para clientes e quatro caixas para atendimento O…
Image

Grupo Savegnago recebe certificado de logística sustentável

Certificação da CHEP, empresa global líder em gestão e transporte, tem reconhecimento internacional e apresenta os benefícios ambientais da operação…
Image

Reckitt Comercial anuncia Alan Smelstein como novo Diretor de Vendas

Profissional vai liderar uma equipe de 200 pessoas espalhadas pelo País, dedicadas a desenvolver, junto com aos clientes, as categorias…
Image

#AjudaSul: itens produzidos no RS seguem em destaque nas redes supermercadistas

Como forma de ajudar na recuperação da economia local, prateleiras com itens oriundos do estado gaúcho foram instaladas em diversas…