Home SeçõesInternacional Clientes de supermercados online gastam mais e são menos fiéis

Clientes de supermercados online gastam mais e são menos fiéis

De Administrador SH
0 Comente

Levantamento da Dunnhumby mostra o novo comportamento omnichannel do e-shopper diante a inflação

Os consumidores de supermercados online dos EUA gastam mais do que os clientes das lojas, mas compram em mais varejistas, de acordo com o mais recente Consumer Trends Tracker da Dunnhumby.

Os compradores omnichannel gastam uma vez e meia mais em mantimentos do que seus colegas apenas na loja, mas espalham seus dólares em até duas vezes mais varejistas, disse Dunnhumby no relatório Consumer Trends Tracker , divulgado esta semana.

A grande maioria dos 45% dos consumidores que compram mantimentos online são compradores omnichannel. Embora o gasto médio mensal de compras seja de US$ 594 em comparação com US$ 388 para compradores somente na loja, os compradores on-line gastam seus dólares em um número maior de varejistas mensalmente, entre 3,9 e 6,6 lojas por mês em comparação com 3,2 apenas para compras na loja, o cliente empresa de ciência de dados disse.

Os e-shoppers também são mais desafiados financeiramente. O estudo também descobriu que as famílias que compram online são 6% mais propensas a ter dispensado ou reduzido o tamanho de uma refeição por razões financeiras e 10% mais propensas a ter dificuldade em cobrir uma despesa inesperada. Dunnhumby atribuiu essas descobertas ao fato de os consumidores serem mais propensos a ter filhos e animais de estimação em casa, exigindo uma conta de supermercado mais alta e dificultando o equilíbrio do orçamento.

Além disso, os consumidores de supermercados on-line enfrentam mais pressões financeiras e de tempo do que os que compram apenas na loja, segundo o relatório. Embora 70% dos compradores na loja física e 72% dos compradores on-line tenham dito que é muito ou extremamente importante que o varejista tenha preços mais baixos do que outros varejistas, os compradores on-line equilibram com mais cuidado a economia de tempo com a economia de dinheiro, enquanto as lojas físicas os compradores são duas vezes mais propensos a escolher uma loja por causa dos preços. Dunnhumby disse que isso reflete o estilo de vida mais movimentado dos compradores omnichannel, que são muito mais propensos a ter filhos ou animais de estimação – e o estresse resultante não apenas de equilibrar os orçamentos, mas também de equilibrar o tempo.

O que realmente se destaca neste relatório é que, enquanto 60% de todas as famílias com crianças fazem algumas de suas compras on-line e apesar de ganharem em média mais do que os compradores físicos, eles estão lutando mais financeiramente e alguns relataram eles tiveram que pular ou reduzir as refeições”, disse Grant Steadman, presidente da dunnhumby North America, com sede em Chicago, em um comunicado. “Isso indica uma evolução da ortodoxia de que os compradores online e omnichannel valorizam a conveniência acima de tudo e não são sensíveis ao preço. Este estudo sugere que nem sempre é o caso.”

O dunnhumby Consumer Trends Tracker foi lançado em maio de 2022 para mais de 2.000 consumidores on-line, representando o consumidor de supermercados dos EUA em todo o país. Outras descobertas importantes do estudo incluem o seguinte:

• Os canais de varejo de supermercado com a maior penetração de comércio eletrônico são os comerciantes de massa (29%), o formato tradicional (24%) e o puro jogo (17%), enquanto as lojas de massa, conveniência e drogarias fazem o melhor trabalho – e lojas de dólar e descontos são menos eficazes – na conversão de compradores físicos em compradores on-line.

• A perda de estoque percebida online é 7% maior do que na loja, indicando a necessidade do e-commerce para melhorar os fundamentos operacionais. Essa é parte das razões pelas quais os consumidores omnichannel compram para diferentes varejistas, tornando-os um segmento de clientes valioso, mas difícil de conquistar, disse dunnhumby.

• As viagens de compras não alimentares são as menos comuns na loja, mas as mais comuns online. Outras categorias populares online, como cuidados com o bebê, alimentos prontos, orgânicos e bebidas alcoólicas, refletem o perfil do jovem consumidor da família.

Dunnhumby acrescentou que os compradores apenas na loja ainda podem ser clientes digitais. Quase um em cada cinco interage com o aplicativo móvel de uma loja, usando-o para navegar na circular semanal, verificar suas recompensas, pontos e cupons disponíveis e planejar sua lista de compras.

Fonte: SN

Leia Também

Super atualizada. Hiper Conectada

Publicação oficial da  Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS)

Sobre

SuperHiper é a publicação oficial do setor supermercadista, produzida pela Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) há 48 anos. É uma importante ferramenta utilizada pela entidade para compartilhar informações e conhecimento com todas as empresas do autosserviço nacional, prática totalmente alinhada à sua missão de representar e desenvolver os supermercados brasileiros.

Siga-nos

@2024 – SuperHiper. Todos os direitos reservados.